fbpx

Responder a: ARTE NAVAL – CAPÍTULO 12 (atracar com corrente ou vento pela proa)

Home (concurso para prático) Fóruns Shiphandling, Naval Shiphandling e SQUAT ARTE NAVAL – CAPÍTULO 12 (atracar com corrente ou vento pela proa) Responder a: ARTE NAVAL – CAPÍTULO 12 (atracar com corrente ou vento pela proa)

#4897
fabio
Mestre

Primeiro vamos contextualizar sua dúvida. Imagino que tenha saído da pg 623 do livro, onde se lê:” Para fundear em marcha a vante, o navio deve se aproximar do fundeadouro em velocidade reduzida e parar as máquinas a cerca de três comprimentos (do navio) da posição escolhida. Assim se procura ter um seguimento de dois ou três nós ao largar o ferro e logo se dá atrás a um terço de velocidade, o que fará parar o navio quando estiverem fora dois ou três quartéis de amarra, em águas de pouco fundo. No momento de fundear, pode-se dar uma ligeira guinada para o mesmo bordo do ferro que se vai largar, a fim de evitar que a amarra roce no costado e faça um cotovelo muito acentuado no escovém enquanto houver seguimento para vante; esse cotovelo deve ser evitado, porque passa a ser um ponto fraco na amarra.”

Com segmento a vante (e sem corrente de proa), guina-se para o bordo do ferro que vai largar, para criar um abatimento, afastando assim a amarra do costado do navio, e diminuindo o ângulo entre a amarra e o escovém.