fbpx

Contradição entre PNA e SHFM

Home (concurso para prático) Fóruns PNA – Controlabilidade Contradição entre PNA e SHFM

Visualizando 2 respostas da discussão
  • Autor
    Posts
    • #2357
      elton
      Participante

      Fabio,

      Como dito no PNA pelo teste do ESSO OSAKA o “head reach” não depende da profundidade de acordo com esse teste e que o ângulo de guinada é maior em águas rasas.
      No livro SHFM ele está de acordo com esse teste do Esso Osaka no PNA tanto com relação ao “head reach” quanto com relação ao “Angulo de Guinada”, pois ele diz bem claro nas pag:13e14.Quando diz que um navio procedendo com 6′ se colocarmos “half astern” haverá uma mudança significativa da proa nessa situação, sendo em águas rasas tanto quanto 80 a 90° e em águas profundas um pouco menos ==> Então em águas rasas angulo de guinada é maior. Com relação ao “head reach” o SHFM diz que nesse caso não há muita diferença na distância de parada exigida para águas rasas e profundas ==> Logo para o Teste ESSO OSAKA do PNA e o teste trial do SHFM eles são concordam nestes 2 aspectos.
      A unica discordância é com relação a experiencia ou teste do INOUE que diz que o “Head reach” Diminui em águas rasas e com relação ao angulo de guinada em aguas rasas também é maior sendo de acordo com outros testes.

      Porque no vídeo do Slide 9 você diz o SHFM está contradizendo o PNA só que na verdade ele concorda com o PNA. O SHFM diz que aumenta o head reach só que na verdade ele aumenta com a máquina parada em águas rasas. Com máquina girando para Ré não há muita diferença na distância de parada exigida para águas rasas e profundas e como o teste do ESSO OSAKA é com máquina girando para trás.
      Confere?

      • Este tópico foi modificado 6 anos, 6 meses atrás por elton.
    • #2359
      fabio
      Mestre

      Elton,

      Voce tem razão. A frase “Ship carries her way longer in shallow water” , na fig 1-7 da pg 18 do livro SHFM, se refere na verdade a máquinas paradas. Portanto não há contradição entre os livros.

      A contradição está portanto dentro do próprio PNA, devido ao trabalho de Inoue, sobre o qual temos apenas uma frase transcrita no livro, sem indicação do método usado para obter tal resultado.

      Vou corrigir os vídeos, e por maioria esmagadora fica prevalecendo a versão de que águas rasas não mudam o head reach ou a stopping distance.

    • #2360

      Já que estamos falando em shallow water, vamos fechar o balão neste tópico:

      stopping distance ou head reach (com máquinas atrás)
      Em geral, não existe tanta diferença de acordo com PNA e Shiphandling
      De acordo com o PNA, a briga é entre os fatores:
      Inércia+Added Mass versus Resistência+Potência do Propulsor

      loss of headway (sem máquinas), uma espécie de coasting
      Navio avança mais, de acordo com Shiphandling e Tug Use In Port (explicado pela Virtual Mass que é Massa do Navio + Massa Adicional, e alinhado com o PNA)
      Neste caso, como temos a ausência do propulsor no jogo, em águas rasas, com maior massa adicional, o navio vai mais longe!
      Vale só citar que com propulsor “travado”, a distância de parada no Coasting diminui de 2 a 4 vezes (PNA).

Visualizando 2 respostas da discussão
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.