Praticagem no Brasil

Home 2022 Fóruns Rebocadores Portuários (Tug Use in Port) Capabilities and Limitations II Responder a: Capabilities and Limitations II

#2423

Slide 46 – o trator azimutal, além de menor calado como o Fabio já mencionou, possui melhor tração lateral que o trator cicloidal (VS) – esta é a explicação que o livro dá na página 52.

Slide 47 – o centro de pressão lateral (não estou falando de ponto pivô) que está no “1/3” de vante de um navio com seguimento é que impede a efetividade do rebocador (como mostra a figura 4.1 B) operando empurrando na bochecha/amura do navio (isso vale para os dois lados e está em função do pequeno braço de alavanca disponível para o rebocador).

Logo, sobra-nos o rebocador exclusivamente como “causador” da guinada indesejada. Todos os livros (não somente o TUP) afirmam que o navio “poderá” guinar contra o rebocador e não que “vai guinar”. Isso dependerá das forças que dominarão no momento:
1) a força do rebocador empurrando + a sustentação que ele pode gerar se estiver em um angulo apropriado OU
2) o seu arrasto (drag) atravessado à corrente que funcionará com um conjugado de máquinas ou como um rebocador puxando a ré no cabo curto.

Sds.

Renato